I CIRCUITO ARTÍSTICO 23ª RT - 2017



REGULAMENTO

Capítulo I 
DAS FINALIDADES E OBJETIVOS
Art. 1° – O Circuito Artístico da 23ª RT tem por finalidade a preservação, valorização e divulgação das artes, dos usos e costumes e da cultura popular do Rio Grande do Sul, em concomitância, a integração entre os departamentos artísticos das entidades do Litoral Norte Gaúcho e todas as categorias de competição.

Art. 2° – O Circuito Artístico da 23ª RT tem por objetivos: 

I – Promover o intercâmbio cultural entre as entidades tradicionalistas, além de uma retomada de consciência dos valores morais do gaúcho entre os participantes do Circuito; 

II – Valorizar o artista amador da região, evitando atitudes pessoais ou coletivas que deslustrem os princípios de formação moral do gaúcho; 

III – Divulgar as diferentes formas de manifestações artísticas da cultura gaúcha, desenvolvidas dentro das entidades tradicionalistas que compõem a 23ª RT, para assim promover a sua valorização diante dos poderes públicos e da população em geral.   

IV – Propiciar um espaço de integração e valorização entre os grupos de dança, concorrentes individuais e as entidades promotoras de eventos artísticos da região, permitindo assim o intercâmbio e potencialização dos mesmos.

Capítulo II
DOS PARTICIPANTES
Art. 3° – Participarão do 1° Circuito Artístico exclusivamente as entidades da 23ª RT, inclusive a entidade promotora, filiadas ao MTG, que se propuserem a obedecer ao presente regulamento, desde que os participantes, individual ou coletivamente, estejam em dia com as suas obrigações sociais e estatutárias.   

Art. 4° – Os concorrentes serão distribuídos nas seguintes categorias, podendo em alguns eventos, haver junção das categorias veterana e xirú, conforme número de inscritos:

I -  Pré-Mirim (Infantil) - até nove (9) anos (não pode ter feito 10).
II - Mirim - até treze (13) anos (não pode ter feito 14).
III - Juvenil - até dezessete (17) anos (não pode ter feito 18).
IV - Adulta – mínimo de quinze (15) anos.
V - Veterano - mínimo de trinta (30) anos.
VI – Xirú – mínimo de quarenta (40) anos.

§ 1º - Os concorrentes em uma categoria poderão participar de outra imediatamente superior (até o limite de 4 dançarinos), no mesmo evento, permitindo a ampla participação dos grupos da 23ª RT. Será observada a idade mínima de 12 anos na categoria juvenil e 15 anos na categoria adulta para esses dançarinos;

§ 2º - Na categoria Pré-mirim, visando o incentivo à novos grupos, serão aceitos até quatro participantes (coringas) com até um ano a mais da categoria, ou seja, até 10 (dez) anos completos. Nas categorias Veterana e Xirú serão aceitos até quatro participantes (coringas) com mais de 25 (vinte e cinco) e 30 (trinta) anos respectivamente.

Art. 5° – A comprovação das idades será feita antes da apresentação do concorrente individual ou coletivo, através da apresentação do cartão tradicionalista dentro da validade, conforme legislação vigente.    

Art. 6° – Em todas as etapas do circuito os grupos de dança poderão dispensar a utilização de grupo musical, podendo utilizarem-se de outros recursos de som mecânico para sua apresentação, sendo essas de responsabilidade do próprio grupo.

§ 1° – Caberá à entidade promotora divulgar previamente se disponibilizará ou não estrutura de sonorização apta a receber grupo musical ou apenas som mecânico.

Capítulo III
DAS INSCRIÇÕES
Art. 7° – Serão considerados automaticamente inscritos em cada etapa do Circuito os grupos de dança, pertencentes à 23ª RT, que concorrerem em algum dos eventos descritos como “Etapas do Circuito”, cabendo às entidades promotoras encaminharem os resultados para conferência de pontos pelo Departamento Artístico da 23ª RT;

Art. 8° - É necessário que as entidades que participam do circuito de rodeios da 23ª RT participem de todas as etapas do circuito (entidade, não grupos). A entidade poderá optar em não ser representada em apenas uma das etapas do circuito, com aviso prévio de até 07 dias (uma semana) de antecedência, à Diretoria Artística da 23ª RT. Em caso contrário, fica automaticamente desclassificada da disputa pelo troféu de Entidade Destaque.

Art. 9° - As inscrições nas etapas do circuito se darão por meio do endereço eletrônico artistico23rt@gmail.com, ou outro meio a ser divulgado nos chasques dos eventos.

Capítulo IV
DA OPERACIONALIZAÇÃO
Art. 10° – O Circuito ocorrerá anualmente e o número de etapas, bem como as datas de realização, será definido pelo Departamento Artístico da 23ª RT, juntamente com as entidades interessadas em sediar/participar do Circuito. Ainda, poderão ser feitas parcerias entre as entidades para sediarem uma das etapas em conjunto. 

§ 1° – O calendário de etapas e as entidades promotoras do 1º Circuito Artístico da 23ª RT estão especificados no Anexo I. 

Art. 11° – Será atribuída uma pontuação a cada modalidade artística representada no Circuito, sendo que, ao término do mesmo, será promovido um evento para premiar os destaques, assim como a entidade que mais pontuou, que receberá o troféu rotativo de Entidade Destaque Artístico da 23ª RT. 

Art. 12° – As entidades promotoras de etapas do Circuito serão responsáveis por toda a infraestrutura necessária, inclusive as despesas com as equipes de avaliadores, os troféus, a sonorização (que deverá ser compatível com a grandeza do evento), bem como outras despesas eventuais decorrentes da organização daquela etapa. O caderno de encargos das entidades promotoras de etapas do Circuito consta no Anexo II.

Art. 13º - A Secretaria Geral das etapas ficará à cargo do Diretor Artístico da 23ª RT, ou alguém por ele nomeado, em conjunto com e Departamento Artístico da Entidade Promotora.

Capítulo V
DAS COMISSÕES AVALIADORAS E REVISORAS 
Art. 14° – Na modalidade Danças Tradicionais fica acordado que a avaliação ficará a cargo de avaliadores maiores de 21 anos, com reconhecido conhecimento em Danças Tradicionais (4ª Ed. Livro Danças Tradicionais – MTG/RS) e experiência em avaliação, os quais serão designados pela Diretoria Artística da 23ª RT e devidamente comunicados às entidades promotoras.

§ Único: Eventuais custos de cachê, alimentação, deslocamento e outros referentes à avaliação, serão suportados pela entidade promotora.

Art. 15° – Cada modalidade será avaliada por no mínimo 03 (três) avaliadores e, no mínimo, 01 (uma) pessoa responsável pela revisão das planilhas. 

§ 1° – Em todas as modalidades haverá a utilização do sistema de Planilhas Abertas, que poderão ser assinadas pelo concorrente ou responsável (patrão, posteiro ou instrutor), no momento oportuno após a apresentação do participante. 

Art. 16° - Na modalidade Danças Tradicionais não serão avaliados os quesitos de música e indumentária (em caso de avaliação a mesma apenas apresentará parecer descritivo como orientação as entidades concorrentes).

Art. 17° – Compete aos presidentes das comissões avaliadoras e organizadores do evento cumprir e fazer cumprir as determinações deste regulamento, orientando os trabalhos das comissões.    

Capítulo VI
DAS MODALIDADES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
No 1° Circuito será disputada apenas a modalidade Danças Tradicionais

Art. 18° – Cada grupo apresentará 03 (três) danças de livre escolha, contidas e executadas de acordo com o livro “Danças Tradicionais Gaúchas”, 4ª edição revisada e ampliada, publicado pelo MTG. Os grupos Pré-Mirim apresentarão apenas 2 (duas) danças tradicionais.

Parágrafo único – Para proporcionar maior competitividade e parâmetros de avaliação às entidades nos concursos estaduais de suas categorias, na última etapa antes de cada um dos concursos, ou seja, uma antes do FestMirim, uma antes do Juvenart e uma antes do ENART (Inter-Regional e/ou final), os grupos inscritos e/ou classificados para aquele concurso, poderão optar em dançar até 6 (seis) danças tradicionais, sendo que previamente o responsável pelo grupo deverá informar as 3 (três) danças que terão sua nota válida para fins de resultado da etapa.

Art. 19° - Cada grupo terá 20 (vinte) minutos para que faça sua apresentação, podendo ir para 25 (vinte e cinco) se o mesmo optar em dançar: meia-canha; anu, pau de fitas, tirana do lenço ou roseira. Ainda, poderá ter até 05 (cinco) minutos para que faça a passagem de som. Caso opte pela apresentação de mais de 3 (três) danças tradicionais, como disposto no artigo 18º, o tempo de apresentação ficará limitado a 27 (vinte e sete) minutos, devendo apresentar apenas uma coreografia.

Art. 20° - Na avaliação das danças tradicionais serão observados os seguintes quesitos:

a) Correção coreográfica................03 pontos
b) Interpretação artística.................04 pontos
c) Harmonia de conjunto...............  02 pontos

§ único – Em caso de empate, os critérios de desempate serão:
1°) maior nota de correção coreográfica;
2°) maior nota de interpretação;
3°) maior nota de harmonia.

Art. 21° – Nas categorias mirim, juvenil e adulta, a premiação do circuito poderá ser dividida em Força A e Força B.  

§ 1° – As entidades irão optar na 1ª etapa do Circuito em qual Força irão concorrer, sendo que as entidades que no ENART 2016 participaram da Força A não poderão participar da Força B no Circuito, enquanto que as entidades que participaram da Força B no ENART 2016 poderão participar da Força A no Circuito.  

§ 2° – Nas categorias mirim e juvenil também valerá a opção feita na 1ª etapa do circuito, sendo que àquelas que participaram da finalíssima do FestiMirim (domingo) e da Etapa Final do Juvenart (último final de semana) não poderão participar da Força B no Circuito, enquanto as demais poderão participar da Força A no Circuito. 

§ 3° – O disposto no presente artigo aplica-se à premiação final do circuito, não necessariamente à premiação das etapas;
Capítulo VII
DAS PREMIAÇÕES
Art. 22° – As etapas do circuito não oferecerão premiação em dinheiro, reforçando o caráter amador do evento, sendo facultada a oferta de brindes que não possuam valor pecuniário.

Art. 23° – Não é permitido aos promotores oferecer premiações que envolvam bebidas alcoólicas e outras drogas, lícitas ou não.   

Art. 24° – Na modalidade de danças tradicionais fica acordado o mínimo de 3 (três) troféus por categoria, sendo opcionais os troféus de melhor entrada e outro de melhor saída, também por categoria.   

Art. 25° – A pontuação do Circuito fica distribuída da seguinte forma:  

a) 1° lugar: 120 pontos;                                          
b) 2° lugar: 100 pontos;                                          
c) 3° lugar: 80 pontos;                                          
d) 4° lugar: 60 pontos;                                            
e) 5° lugar: 50 pontos;                                            
f) 6° lugar: 40 pontos;                                            
g) 7° lugar: 30 pontos; 
h) 8° lugar: 20 pontos; 
i) 9° lugar: 10 pontos; 
j) 10° lugar: 5 pontos.  

I – Será acrescida uma pontuação extra de 20 pontos para cada grupo em função da mera participação na etapa, ou realização da mesma, considerando que entidades promotoras eventualmente não participem das etapas que promovam.

II – Do total de etapas previstas, serão computados para fins de resultado final as maiores pontuações obtidas por cada entidade em minimamente 70% delas, excluindo-se as menores notas. Grupos que participaram do mínimo de etapas não poderão efetuar o descarte.

Capítulo VIII
DAS DIRETRIZES GERAIS
Art. 26° - Fica acordado, que as entidades comprometidas com o circuito de rodeios, têm a obrigação de levar suas invernadas artísticas atuantes em todas as fases do circuito, podendo escolher o número mínimo para não participar, conforme já citado neste regulamento. No descumprimento desta regra a entidade será desclassificada do circuito, perdendo toda a pontuação que a mesma possui ou venha a possuir.  

Art. 27° - Se em alguma fase do circuito houver brigas ou agressões verbais de modo a envergonhar a índole ou a moral do evento, as entidades envolvidas, perderão na totalidade os pontos ganhos na fase do circuito. Além, dos envolvidos receberem uma advertência da coordenadoria da 23ª RT e punição dentro de suas entidades.  

Art. 28° - Fica sobre responsabilidade da comissão organizadora do circuito de rodeios: avaliar, julgar e punir se necessário os casos omissos a este regulamento. 

Art. 29° - Os casos omissos nesse regulamento serão resolvidos pelo Departamento Artístico da 23ª RT ou Comissão Técnica nomeada pelo coordenador Regional.


O presente regulamento foi aprovado por aclamação pelos patrões da 23ª RT em encontro regional do dia 11/04/2017, passando a valer de Imediato.

Osório, 11 de abril de 2017.


INFORMAÇÕES:
Berbacha Soares – (51) 9.9651-0496



ANEXO II  

CADERNO DE ENCARGOS DAS ENTIDADES SEDES DE ETAPAS DO I CIRCUITO DE ARTÍSTICO DA 23ª RT
   
1) Palcos para a realização dos concursos, dimensões recomendadas de 12x10m, com sonorização adequada. 

2) Mesas para os membros da comissão avaliadora e revisora, bem como a disponibilidade de tomadas para notebooks. 

3) Na mesa da comissão avaliadora do concurso de danças tradicionais deve ser disponibilizado um notebook com impressora. 

4) Local reservado para a secretaria do evento, contendo material de escritório (folhas A4, canetas, clips, lápis, borrachas, grampeadores, calculadoras, envelopes pardos A4, etc.), 2 computadores com acesso à internet, impressora multifuncional com tonner reserva, mesas e cadeiras. A secretaria do evento será estabelecida pelo Departamento Artístico da 23ª RT. 

5) Impressão das planilhas de avaliação de todos os concorrentes da etapa do Circuito, sendo que as mesmas serão repassadas pelo Departamento Artístico da 23ª RT. 

6) Disponibilização de apresentadores para os palcos e modalidades, conforme solicitação prévia. 

7) Disponibilização mínima de 2 (dois) assistentes para palco, 2 (dois) assistentes para secretaria e 1 (um) apresentador dos grupos;

8) Realização do credenciamento dos concorrentes. 

9) Confecção de troféus conforme o determinado pelo Regulamento do I Circuito de Rodeios Artísticos da 23ª RT. É facultativa a confecção de quantidades maiores que o determinado pelo Regulamento. 

10) Pagamento da Comissão Avaliadora do Concurso de Danças Tradicionais, conforme acerto de valores a ser realizado pelo Departamento Artístico da 23ª RT.


INFORMAÇÕES:
Berbacha Soares – (51) 9.9651-0496